Páginas

9 de fev de 2010

O Amazonas merece viver um novo tempo.

Manaus, AM

          O Amazonas até hoje sofre as consequências das administrações retrógradas. Esses governos, desprovidos de espírito público, tiveram sempre como objetivo maior o enriquecimento pessoal ilícito, a pilhagem da coisa pública e a distribuição de benesses aos apaniguados. A falta do espírito republicano para cuidar do lugar onde vivemos e criamos nossos filhos é a pior inimiga da sociedade. Por isso mesmo, o Estado mais rico da Amazônia possui índices pífios de desenvolvimento humano.

          A saúde pública precária, a educação de má qualidade, a falta de segurança pública, o gigantismo do desemprego, o caos nos transportes e no trânsito, o problema habitacional (leia-se favelização e invasões) e a falta de água potável são a herança de maus governos.

          URGE, agora, acabar com isso. Faz-se necessária a edificação de um novo Amazonas sob os novos paradigmas da gestão pública, e romper com os padrões atrasados e nefastos dos politiqueiros virulentos tradicionais. Para o bem do Amazonas. Assim, ter-se-á um governo de bem, voltado para a satisfação das necessidades sociais quando aplicados os princípios da legalidade, impessoalidade, moralidade, publicidade, economicidade, efetiva participação popular, descentralização, transparência, proatividade do servidor público, “accountability” e do planejamento estratégico. Isso tudo sempre pautados sob as perspectivas do diálogo e consenso e do foco nos objetivos precípuos do Estado e dos municípios. Não pode ser diferente.

          O Amazonas tem de se desenvolver à altura de sua potencialidade, conjugando a exuberância do meio ambiente natural onde está encravado, sua opulência econômica e o valor de seu aguerrido povo.

          O Amazonas merece viver um NOVO TEMPO. Você concorda?

Um comentário:

  1. Concordo totalmente. Um novo tempo era no tempo do Plínio Coelho. vamos tentar agora nessa eleição.

    ResponderExcluir