Páginas

16 de jan de 2016

Projeto: Centro de Cultura Popular e Ciências de Manicoré

Manicoré, AM



Centro de Cultura Popular e Ciências de Manicoré

Por que um Centro de Cultura Popular e Ciências?
A complexidade do cenário e as tensões presentes na sociedade em que vivemos, tensões que são ainda mais acentuadas nos lugares mais longínquos, como é Manicoré, encravado na floresta amazônica, onde as iniquidades sociais são profundas e aonde as políticas públicas, que poderiam corrigi-las ou atenuá-las, não chegam, fazem emergir essa necessidade. Além da maior carência de infraestrutura e de serviços básicos de atendimento em saúde e educação, também não se tem equipamentos de cultura, esporte e lazer.
Dessas reflexões surgem-nos algumas perguntas: haveria ainda espaço para formas locais de solidariedade e vida comunitária? Os espaços públicos urbanos de convivência ainda têm condição de sobreviver? Como?
Numa clara demonstração das contradições do mundo em que vivemos, verifica-se que, justamente nos lugares mais afastados e nos cinturões de pobreza que se desenvolveram à margem de alguns bairros mais centrais, surgem iniciativas comunitárias voltadas para o desenvolvimento da população por meio da cultura, associativismo, cooperativismo e voluntariado. Nos vazios resultantes da omissão do poder público surgem, cheias de energia, iniciativas as mais diversas, ligadas ou não a organizações comunitárias, articuladas ou não a outras instâncias, respondendo a uma necessidade percebida por um grupo e alavancada pelo esforço coletivo da própria comunidade.
         O Centro de Cultura Popular e Ciências de Manicoré é uma iniciativa dessas.


Premissas
         O projeto Centro de Cultura Popular e Ciências de Manicoré
         - ser uma iniciativa popular, em razão da necessidade da participação da comunidade para consecução das atividades, projetos e objetivos.
         - ser apartidária, para não ser capturada por interesses partidários e eleitorais
         - ser independente financeiramente do poder público, para não ser capturada por interesses eleitorais, bem como evitar que tenha suas atividades paralisadas por falta de recursos ou por questões burocráticas legais.
         - valorizar as potencialidades dos nativos, para ser efetivamente um recurso de desenvolvimento dos comunitários.
         - ser pragmática no fazer, em razão da necessidade prática da vida cotidiana
         - não ser institucionalizada, pois nos espaços institucionalizados as questões legais, burocráticas e os interesses inadequados não permitem o dinamismo que a inovação, o ativismo popular autêntico requerem.

Onde estará localizado Centro de Cultura Popular e Ciências de Manicoré?
O projeto estará localizado na cidade amazonense de Manicoré.
         Manicoré é um município pobre do interior do estado do Amazonas. Pertencente à mesorregião do Sul Amazonense e microrregião do Madeira, sua população estimada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) era de 53.053 habitantes em 2014.
         O acesso ao município se dá por via fluvial no Rio Madeira, em barcos, que a partir de Manaus, a capital, demoram até 60 horas de viagem. Localizado nas margens do Rio Madeira, a cidade está localizada entre Manaus e Porto Velho.
         A principal fonte de renda da população provém em parte da produção agrícola, principalmente do cultivo da banana, melancia e da produção de farinha, outras fontes são provenientes do comércio e dos empregos gerados pela prefeitura e estado. O município possui um grande potencial extrativista baseado na borracha e na castanha.
A maior parte da renda das pessoas vem dos programas sociais do governo federal.
Falando em Cultura, infelizmente se verifica que a cidade possui apenas uma biblioteca municipal com poucos títulos e a maior quantidade dos exemplares é de antigas enciclopédias, os títulos do acervo são antigos, tanto o acervo quanto o ambiente são mal cuidados, não possui nenhum sistema de catalogação dos livros, não possui profissional de biblioteconomia para fazer a gestão e curadoria do acervo e não há qualquer atividade conjunta com escolares e escolas para uso do acervo já instalado. Ainda como atividades protoculturais, se destacam os forrós de rua, que transformam as vias de cidade em verdadeiros celeiros dançantes e o Festival das quadrilhas, onde cada bairro envia seu grupo, dando assim um colorido especial ao evento.
Existem eventos totalmente bancados pelo poder público denominados Festas, (festa da melancia,  festa do açaí, festa do mel, etc.), para os quais são contratados artistas profissionais, sem que haja qualquer participação da população.
As comunicações são precárias, tanto a Telefonia quanto a Internet. Manicoré é servido pelo sistema de telefonia fixa através da operadora Oi (antiga Telemar). Na área rural e em alguns distritos existem centrais telefônicas, e em dezenas de comunidades rurais existe o sistema público com um terminal telefônico. No sistema móvel (celular), Manicoré é servido pelas operadoras Oi, Vivo e Claro. Os serviços são de baixíssima qualidade, não funciona internet nesse serviço. O sistema de internet do município é fornecido através da Oi, com o serviço Oi Velox. (está instalado mas não funciona, pois é baseado em satélite e a velocidade máxima nominal é 256 kbps). De forma alternativa as pessoas contratam o serviço por satélite e a distribuem clandestinamente (não homologados pela Anatel) por rádio.
A educação é completamente desenvolvida pelos governos estadual e municipal, com incipientes desenvolvimento e desempenho. Por esforço próprio dos profissionais a meta do IDEB tem sido alcançada. Em nível de educação superior está instalado um núcleo da universidade estadual que ministra cursos modulares de qualidade incipiente.
        
Atividades que serão desenvolvidas
         O Centro de Cultura Popular e de Ciências de Manicoré terá os seguintes equipamentos e atividades, sempre desenvolvidos em projetos autônomos e integrados, alocados em iniciativas que desenvolvam a economia solidária, o associativismo, o cooperativismo, o voluntariado, a socialização de idosos, o resgate e conservação do folclore, a geração de emprego e renda, as artes erudita e popular, a cultura erudita e popular, as crianças e adolescentes, a capacitação para o empreendedorismo, o resgate e conservação da história e geografia local, o resgate e conservação da cultura regional e promovam a cidadania e o bem-estar da comunidade.



Estratégias.
Os espaços e equipamentos públicos normalmente são subutilizados por isso o Centro de Cultura Popular e Ciências buscará não cair nesse lugar comum. Para tanto, isto é, para haver uma utilização plena dos recursos alocados serão realizadas atividades para dinamizar o uso do acervo e tornar a biblioteca como centro gerador de cultura, articuladas com as escolas, universidades, igrejas, associação de moradores e populares em geral.

Objetivos
         - disseminar o saber popular
         - gerar saberes culturais populares
         - apoiar as atividades escolares dos moradores da comunidade
         - disseminar a literatura e as artes
         - fortalecer a consciência política e cultural da comunidade
         - desenvolver a economia local
- estimular o associativismo e o cooperativismo
- estimular o empreendedorismo

Benefícios esperados
         - melhoria dos índices educacionais dos escolares da comunidade
         - fortalecimento dos vínculos comunitários
         - despertamento da consciência política e cultural da comunidade
         - diminuição dos índices de delinquência infanto-juvenil e vadiagem
         - fortalecimento da consciência e resistência às drogas, ao tabagismo e ao alcoolismo
         - desenvolvimento do hábito da leitura
         - desenvolvimento da cultura e das artes na comunidade
         - geração de emprego e renda

Nenhum comentário:

Postar um comentário